Laudelino Advogados

RELAÇÃO
ESCRITÓRIO-CLIENTE

Não existe advocacia de excelência sem uma boa relação comercial com os clientes.

A estrutura financeira do escritório foi pensada para garantir o alinhamento de interesses com os clientes. Neste sentido, trabalhamos com diferentes formas de cobrança, as quais trazem flexibilidade e bem atendem às necessidades dos casos.

No gráfico, a distribuição de receita do escritório em 2020. Olhamos com bons olhos uma certa concentração de honorários de “êxito” e sucumbenciais, pois esta é a modalidade que mais facilmente garante o alinhamento de interesses com os clientes.

Há, no entanto, uma necessidade de receitas de outras origens para que o escritório possa bem remunerar os seus advogados e suportar sua estrutura moderna e sofisticada. Buscamos manter, no mínimo, uma receita anual de 40% de outras fontes – afinal de contas, por um lado, nem todo caso possui um êxito financeiro e, por outro, precisamos manter um nível saudável de despesas correntes. Daí a importância de utilizarmos diferentes métodos de cobrança: homens-horas, pro labore e, em menor escala, honorários mensais fixos.

Seja de que maneira for, todas as nossas negociações de honorários possuem as mesmas premissas: (i) a remuneração sob demanda, (ii) objetivo claro, (iii) previsibilidade financeira e, sobretudo, (iv) um modelo que garanta a qualidade dos trabalhos, especialmente pelo alinhamento de interesses econômicos na relação escritório-cliente.